Category: Áudio


Edite áudios pelo seu navegador

Agora você pode editar áudios no seu próprio navegador, só é preciso instalar o flash se você já não tem ele instalado no seu PC. Ele funciona totalmente na web, assim como os editores de fotos online, que existem aos montes.

Aplicativos de edição de áudio são difíceis de encontrar.Mas a Aviary, que é uma suíte online de edição multimídia, criou o Myna, edito de áudios (multifaixa) online.Mas, é claro, ele é bem limitado, você pode editar ou mixar no máximo 10 faixas, sendo que cada uma delas não poderá passar de 5 minutos.

Mas ainda assim, é um ótimo serviço, podendo fazer upload de seus próprios sons, gravar seu próprio áudio com o microfone do seu pc, ou até utilizar uma biblioteca de músicas e sons, licenciados apenas para uso não comercial.Quando você for salvar um projeto, poderá licencia-lo pela Creative Commons, obtendo mais segurança contra plágio de suas edições.

Você também poderá inserir efeitos, mesmos que simples, como delay e reverb, o que torna útil pra quem faz podcast, ou editar entrevistas e publicá-los rapidamente.O Myna suporta os formatos mp3, wav, wma, além de m4a, ogg e aif.

Anúncios

Acústica

A área da Física que estuda o som é chamada de Acústica. Para entende-la melhor precisamos relembrar alguns conceitos:

Onda: é a variação periódica de uma grandeza física. Uma onda é composta por:

Crista: Pontos de maior intensidade, o topo da onda.
Vale: Pontos de menor intensidade da onda.
Nível Médio: Pontos entre o as Cristas e os Vales.

A distância entre a crista ou o vale e o nível médio é chamada amplitude (y). Já a distância entre duas cristas consecutivas ou dois vales consecutivos é chamada de comprimento de onda (λ).

Onde:

λ – Comprimento
y – Amplitude

O tempo que uma oscilação leva para se repetir é chamado período (T), medido em segundos(s). A frequência (f) significa quantas vezes uma oscilação se repete por unidade de tempo, medida em Hertz (Hz). Dessa forma:

f = 1/t

Som é uma onda mecânica que possui a intensidade e frequência necessárias para ser percebida pelo ser humano. Entendemos como onda mecânica uma onda que precisa de meios materiais, como o ar ou o solo, para se propagar. As frequências audíveis pelo ouvido humano ficam entre 16 Hz e 20000Hz (20kHz). Dentro desta faixa a encontram-se a voz humana, instrumentos, musicais, alto-falantes, etc.

Abaixo de 16Hz temos os infra-sons, produzidos por vibrações da água em grandes reservatórios, batidas do coração, etc.

Acima de 20kHz estão os ultra-sons emitidos por alguns animais e insetos (morcegos, grilos, gafanhotos…), sonares, aparelhos médicos e industriais.

Os dispositivos que produzem ondas sonoras são chamados de fontes sonoras. Entre os que mais se destacam estão aqueles compostos por:

  • Cordas vibrantes como violão o  piano, as cordas vocais etc.
  • Tubos sonoros como órgão flauta, clarineta.
  • Membranas e placas vibrantes tal como o tambor
  • Hastes vibrantes como o diapasão, triangulo, etc.

Podemos caracterizar os sons a partir de sua intensidadealtura ou timbre.

intensidade está ligada à quantidade de energia transportada pelo som. Desta forma, conforme a intensidade do som dizemos que ele é mais forte (a onda possui maior amplitude) ou mais fraca (a onda possui menor amplitude).

altura está relacionada com a freqüência do som. Assim distinguimos os sons mais altos como os de maior frequência (mais agudos) e os mais baixos como os de menor frequência (mais graves). As notas musicais buscam agrupar diferentes freqüências sonoras produzidas por um instrumento.

O timbre corresponde ao conjunto de ondas sonoras que formam um som. O timbre permite diferenciar diferentes fontes sonoras, por exemplo é fácil perceber que o som de uma guitarra e de uma flauta são completamente diferentes.

A velocidade do som no ar é de 340 m/s. A fórmula que relaciona velocidade, amplitude e frequência sonora é:

V = λ . f

Fontes:
http://www.sbfisica.org.br/fne/Vol4/Num1/a10.pdf
http://www.algosobre.com.br/fisica/acustica.html

Som digital

O som digital, ou áudio digital, consiste na representação digital de uma onda sonora por meio de código binário. O processo que envolve, na captação ou gravação, a conversão do som analógico para digital (ADC, Analog to digital converter[1]) e, na reprodução, a conversão do som digital para analógico (DAC, Digital to analog converter[2]) permite que o som seja armazenado e reproduzido por meio de um CDMiniDisc ou DAT, de bandas sonoras de filmes digitais, de arquivos de áudio em diversos formatos, como WAVAIFFMP3OGG, e de outros meios.

O processo de conversão do som analógico para digital acarreta uma perda e é sabido que o som digital nunca poderá representar o som analógico de maneira plena. No entanto, a evolução tecnológica dos processos de conversão atingiu um grau elevado de precisão ao ponto de não deixar transparecer nenhuma distinção perceptível ao ouvido humano entre o som analógico e sua representação digital.

A precisão da representação digital do som varia de acordo com a taxa de amostragem de frequência e a quantidade (profundidade) de bits para cada amostra, ou bit depth[3]. Quanto maiores esses valores, maior será a fidelidade do som digital em relação ao som analógico. Um CD de áudio padrão, por exemplo, possui a taxa de amostragem de frequência, ou sampling rate[4], de 44.100 Hz e a profundidade de 16 bits.