Category: Dicas


Lightworks se torna Open Source

Nos resultados da nossa pesquisa aqui no site, sobre qual software de edição os leitores costumam utilizar, costuma ter destaque o Final Cut, Adobe Premiere, After Effects, Vegas e Avid. Pois um programa que poucos conhecem, o Lightworks, tornou-se open source. E não se engane, o Lightworks é um software muito utilizado em Hollywood, na lista de filmes editados com ele podemos encontrar nomes como Shutter Island, The Departed, Moulin Rouge e Pulp Fiction, só pra citar alguns.

Para baixar é fácil, basta se cadastrar gratuitamente no site e baixar o programa que, por enquanto, tem apenas uma versão para Windows. O editor Edmar da Costa Barros criou um blog onde pretende trocar informações e experiências sobre o software.

Eu já baixei e recomendo: é fácil de usar e bastante prático, embora ainda esteja me acostumando. Vale a pena experimentar.

Anúncios

A perspectiva, com sua capacidade de projetar sobre uma superfície bidimensional, um objeto que é tridimensional, revolucionou a arte durante o Renascimento. E os princípios que a suportam haviam sido desenvolvidos quase 500 anos antes, por um filósofo árabe chamado Alhazen.

Encontrando pontos de fuga

Agora, pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, desenvolveram um programa que automatiza a tarefa de encontrar os pontos de fuga necessários para a construção de uma imagem tridimensional a parte de uma simples fotografia.

Até hoje esse é um trabalho artístico, que envolve talento e semanas de trabalho árduo. Ainda assim, o resultado é uma perspectiva que funciona de um único ponto de vista. O novo programa, batizado de Make3D, gera uma imagem tridimensional que pode ser “sobrevoada” virtualmente, e vista de vários ângulos.

Da fotografia ao 3-D

“O algoritmo utiliza várias dicas visuais que os humanos usam para estimar os aspectos 3-D de uma cena,” diz o pesquisador Ashutosh Saxena. “Se nós olharmos para um campo gramado, nós podemos ver que a textura muda de uma forma particular à medida em que ela fica mais distante.”

O programa está aprimorado para lidar com paisagens e pode ser testado gratuitamente no site (veja link abaixo, no quadro Links desta notícia). Os usuários podem enviar suas imagens, que entram em uma fila de processamento. Quando o processamento estiver terminado, o interessado recebe um email e pode visualizar o resultado no próprio site, no formato VRML, ou fazer o download do filme.

Ambientes virtuais

Quando totalmente desenvolvido, o programa poderá ser útil em uma grande variedade de tarefas, da virtualização de ambientes reais para jogos de computador e treinamentos, até a transformação de fotos de imóveis à venda em ambientes virtuais nos quais os clientes poderão navegar livremente no próprio site das imobiliárias.

Para conhecer outro programa semelhante, veja Programa gera imagem tridimensional de fotos normais.

Nos softwares de ilustração vetorial até os mais inexperientes artistas e pessoas que não tem vivência com desenho podem fazer pequenas ilustrações. Basta ter um pouco de paciência para aprender a trabalhar com curvas Bézier e ajustar a posição dos pontos para criar uma ilustração vetorial simples em ferramentas como o Adobe Illustrator ou Corel Draw. Mas, quando o software usado é especializado na edição de bitmaps ou fotos como é o caso do Photoshop, GIMP ou Pixelmator a coisa muda muito de figura. Claro que é possível fazer pequenos ajustes nas fotos, mas a pós-produção mesmo com ajustes de cores é trabalho para artistas com olho clínico.

Entre as diversas ferramentas que esses softwares oferecem para fazer ajustes nas fotografias está o Histograma que é editado pela ferramenta Levels. O que é um histograma? Essa é uma representação gráfica das partes mais escuras da imagem no lado esquerdo e das áreas claras, chamadas de highlights na direita. Como na maioria das vezes trabalhamos com a escala de cor RGB, os valores da escala correspondem ao 0 para preto e 255 para o branco. A escala está representada exatamente dessa maneira no histograma.

Com a ferramenta Levels é possível intensificar ou suavizar esses tons nas imagens.

O tutorial abaixo mostra como a ferramenta Levels do Photoshop funciona, permitindo que ajustes nas cores de uma fotografia sejam feitas de maneira individual na imagem.

Apesar de o vídeo estar em inglês, recomendo o tutorial para as pessoas que não conhecem esse tipo de ferramenta que pode salvar uma iluminação deficiente em fotos, e até mesmo melhorar renderizações em 3d sem a necessidade de renderizar novamente.

Entre as tarefas que mais exigem conhecimento sobre fotografia e composição no Photoshop, ou softwares semelhantes, é a manipulação de cores usando opções como o Levels ou as curvas. Ainda existem opções para fazer ajustes automáticos, que inclusive são mencionados no final do vídeo, mas ainda acredito que a melhor opção é trabalhar em cada canal de cor de maneira individual.

Qual a melhor maneira de aprender esse tipo de recurso? Minha sugestão é fazer diversos experimentos e observar bastante o resultado da sua composição, até encontrar o ponto certo.